Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Trabalhadores da prefeitura de Florianópolis entram em greve por tempo indeterminado

Depois de 42 dias de negociação, prefeito não deu resposta sobre reajuste pela inflação.

Escrito por: Sintrasem • Publicado em: 11/06/2019 - 16:54 • Última modificação: 11/06/2019 - 17:17 Escrito por: Sintrasem Publicado em: 11/06/2019 - 16:54 Última modificação: 11/06/2019 - 17:17

. .

Na maior assembleia do ano, na tarde desta terça-feira (11), os trabalhadores da Prefeitura de Florianópolis (SC) deflagraram greve por tempo indeterminado contra a tentativa do prefeito Gean Loureiro de enrolar a categoria!

As unidades do serviço público municipal interromperam o trabalho desde a meia-noite desta quarta (12).

Prefeito não paga porque NÃO QUER

Em data-base desde início de maio, passados  42 dias de negociação, o governo não tem nem sequer resposta para reajuste da inflação

Em mais de uma ocasião, o prefeito Gean Loureiro botou a culpa na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para negar o que deve aos trabalhadores. 

Este ano, entretanto, as coisas estão diferentes. O gasto com folha de pagamento está abaixo do limite prudencial da LRF, e as projeções da prefeitura estão no positivo - como o prefeito faz tanta questão de ressaltar na imprensa.

Hoje, após quase um mês e meio de negociações, a Prefeitura encaminhou uma resposta pedindo ainda mais tempo para estudar os números.

Sobrecarga intensa da categoria

Diversas outras cláusulas referentes a condições de trabalho e infraestrutura também não tem resposta alguma parte do Executivo.

Uma das principais é a realização de um concurso público para diminuir a sobrecarga de trabalho nos postos de saúde, escolas, creches, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e outros.

Em mesa de negociação, a prefeitura confirmou a realização de um concurso, mas não apresentou prazos, datas ou número de vagas. 

O Sindicato dos Servidores Municipais de Florianópolis (Sintrasem) conhece bem o que significa uma promessa do governo Gean Loureiro. Basta afirmar que a categoria ainda aguarda os planos de carreira, o reajustes de 2016 e 2017, e promoções de todo tipo.

Gean: para de enrolar e negocia!

Após enviar a resposta sem nenhum avanço, na noite de segunda-feira(10/6), a prefeitura ainda chamou uma mesa de negociação para esta sexta-feira (14), dia da Greve Geral da Classe Trabalhadora contra a reforma da previdência. 

Por isso, os trabalhadores seguem neste momento em passeata até o prédio da Prefeitura para cobrar, em mesa de negociação, uma proposta que acate as  necessidades da categoria e as condições para que o serviço público de Florianópolis atenda a população com qualidade! 

 

Título: Trabalhadores da prefeitura de Florianópolis entram em greve por tempo indeterminado, Conteúdo: Na maior assembleia do ano, na tarde desta terça-feira (11), os trabalhadores da Prefeitura de Florianópolis (SC) deflagraram greve por tempo indeterminado contra a tentativa do prefeito Gean Loureiro de enrolar a categoria! As unidades do serviço público municipal interromperam o trabalho desde a meia-noite desta quarta (12). Prefeito não paga porque NÃO QUER Em data-base desde início de maio, passados  42 dias de negociação, o governo não tem nem sequer resposta para reajuste da inflação Em mais de uma ocasião, o prefeito Gean Loureiro botou a culpa na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para negar o que deve aos trabalhadores.  Este ano, entretanto, as coisas estão diferentes. O gasto com folha de pagamento está abaixo do limite prudencial da LRF, e as projeções da prefeitura estão no positivo - como o prefeito faz tanta questão de ressaltar na imprensa. Hoje, após quase um mês e meio de negociações, a Prefeitura encaminhou uma resposta pedindo ainda mais tempo para estudar os números. Sobrecarga intensa da categoria Diversas outras cláusulas referentes a condições de trabalho e infraestrutura também não tem resposta alguma parte do Executivo. Uma das principais é a realização de um concurso público para diminuir a sobrecarga de trabalho nos postos de saúde, escolas, creches, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e outros. Em mesa de negociação, a prefeitura confirmou a realização de um concurso, mas não apresentou prazos, datas ou número de vagas.  O Sindicato dos Servidores Municipais de Florianópolis (Sintrasem) conhece bem o que significa uma promessa do governo Gean Loureiro. Basta afirmar que a categoria ainda aguarda os planos de carreira, o reajustes de 2016 e 2017, e promoções de todo tipo. Gean: para de enrolar e negocia! Após enviar a resposta sem nenhum avanço, na noite de segunda-feira(10/6), a prefeitura ainda chamou uma mesa de negociação para esta sexta-feira (14), dia da Greve Geral da Classe Trabalhadora contra a reforma da previdência.  Por isso, os trabalhadores seguem neste momento em passeata até o prédio da Prefeitura para cobrar, em mesa de negociação, uma proposta que acate as  necessidades da categoria e as condições para que o serviço público de Florianópolis atenda a população com qualidade!   



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.