Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Sindicato denuncia prefeitura de Itapetinga ao Ministério Público

Trabalhadores ainda não receberam o vale refeição, que deveria ter sido pago em janeiro.

Escrito por: Redação Confetam/CUT • Publicado em: 06/02/2019 - 17:28 • Última modificação: 06/02/2019 - 17:47 Escrito por: Redação Confetam/CUT Publicado em: 06/02/2019 - 17:28 Última modificação: 06/02/2019 - 17:47

CIDADE ACONTECE Pagamento a conta gotas, reclama presidente

O Sindicato Intermunicipal dos Servidores Públicos Municipais de Itapetinga (Sinditatiba/BA) deu entrada com uma queixa no Ministério Público contra a prefeitura pelo atraso do vale alimentação dos trabalhadores da prefeitura, que deveria ter sido pago no dia 10 de janeiro. A direção do Sinditatiba/BA reclama do silêncio do prefeito, que ainda não veio a público, nem se reuniu com o sindicato e os trabalhadores, apresentar uma explicação para a ausência do pagamento.  

O presidente do Sinditatiba, Val Pereira, conta que a entidade fez uma forte campanha de divulgação da irregularidade para pressionar a Administração Municipal a observar os direitos dos servidores municipais. 

"A gente botou nos blogs, foi no rádio, deu entrevista e colocamos o servidor pra cobrar (a prefeitura). Então, estamos na expectativa de logo regularizar", afirma Pereira, acrescentando que o pagamento estaria ocorrendo a "conta gotas". 
 

Título: Sindicato denuncia prefeitura de Itapetinga ao Ministério Público, Conteúdo: O Sindicato Intermunicipal dos Servidores Públicos Municipais de Itapetinga (Sinditatiba/BA) deu entrada com uma queixa no Ministério Público contra a prefeitura pelo atraso do vale alimentação dos trabalhadores da prefeitura, que deveria ter sido pago no dia 10 de janeiro. A direção do Sinditatiba/BA reclama do silêncio do prefeito, que ainda não veio a público, nem se reuniu com o sindicato e os trabalhadores, apresentar uma explicação para a ausência do pagamento.   O presidente do Sinditatiba, Val Pereira, conta que a entidade fez uma forte campanha de divulgação da irregularidade para pressionar a Administração Municipal a observar os direitos dos servidores municipais.  A gente botou nos blogs, foi no rádio, deu entrevista e colocamos o servidor pra cobrar (a prefeitura). Então, estamos na expectativa de logo regularizar, afirma Pereira, acrescentando que o pagamento estaria ocorrendo a conta gotas.   



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.