Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Servidores municipais realizam ato contra reforma da Previdência em São Paulo

Depois de ter sido suspensa em março, tramitação do PL 621/16 está novamente na pauta da Câmara, podendo ir à votação ainda este ano.

Escrito por: Redação RBA • Publicado em: 06/12/2018 - 15:04 • Última modificação: 06/12/2018 - 15:23 Escrito por: Redação RBA Publicado em: 06/12/2018 - 15:04 Última modificação: 06/12/2018 - 15:23

ANDRÉ KUCHAR Trabalhadores se concentraram diante da Câmara Municipal e marcaram novo ato para o próximo dia 21

Servidores municipais de São Paulo realizaram na tarde desta quarta-feira (5), em frente à Câmara de Vereadores, uma manifestação contra o Projeto de Lei 621/2016, que pretende alterar a aposentadoria dos trabalhadores e diminuir salários. Chamada de “PL do confisco”, a proposta pretende criar uma previdência complementar e aumentar a alíquota de contribuição dos atuais 11% para 14% do salário, entre outras mudanças.

Apresentado em 2017, ainda durante o primeiro e único ano de João Doria (PSDB) como prefeito da capital paulista, a tramitação do projeto foi suspensa em março deste ano e voltou agora à pauta da Câmara com apoio do prefeito Bruno Covas (PSDB).

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) foi representada na atividade pela secretária de Finanças Paula Leite e pelo diretor executivo Vlamir Lima.

Recado dado

“Precisamos dar um recado bem dado aos vereadores e ao prefeito Bruno Covas: Tirem as mãos da nossa aposentadoria. Não vamos aceitar o aumento de 11% para 14%, que pode chegar a até 19%. Muita atenção nisto”, alerta João Batista Gomes, secretário de imprensa do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no município de São Paulo (Sindsep).

Após a concentração na Câmara, os manifestantes encerraram o ato diante da sede da prefeitura de São Paulo, também na região central onde prometeram realizar outra grande manifestação no próximo dia 21, data em que está marcada audiência pública para analisar o projeto por uma comissão especial.

“Se você quer ter aposentadoria no futuro, se não quer ter rebaixamento do salário, venha pra luta”, convocou o dirigente do Sindsep.

 

Título: Servidores municipais realizam ato contra reforma da Previdência em São Paulo, Conteúdo: Servidores municipais de São Paulo realizaram na tarde desta quarta-feira (5), em frente à Câmara de Vereadores, uma manifestação contra o Projeto de Lei 621/2016, que pretende alterar a aposentadoria dos trabalhadores e diminuir salários. Chamada de “PL do confisco”, a proposta pretende criar uma previdência complementar e aumentar a alíquota de contribuição dos atuais 11% para 14% do salário, entre outras mudanças. Apresentado em 2017, ainda durante o primeiro e único ano de João Doria (PSDB) como prefeito da capital paulista, a tramitação do projeto foi suspensa em março deste ano e voltou agora à pauta da Câmara com apoio do prefeito Bruno Covas (PSDB). A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) foi representada na atividade pela secretária de Finanças Paula Leite e pelo diretor executivo Vlamir Lima. Recado dado “Precisamos dar um recado bem dado aos vereadores e ao prefeito Bruno Covas: Tirem as mãos da nossa aposentadoria. Não vamos aceitar o aumento de 11% para 14%, que pode chegar a até 19%. Muita atenção nisto”, alerta João Batista Gomes, secretário de imprensa do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no município de São Paulo (Sindsep). Após a concentração na Câmara, os manifestantes encerraram o ato diante da sede da prefeitura de São Paulo, também na região central onde prometeram realizar outra grande manifestação no próximo dia 21, data em que está marcada audiência pública para analisar o projeto por uma comissão especial. “Se você quer ter aposentadoria no futuro, se não quer ter rebaixamento do salário, venha pra luta”, convocou o dirigente do Sindsep.  



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.