Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Servidores municipais denunciam prefeito de Itapetinga a vereadores

Gestão ameaçou cortar o ponto dos trabalhadores que comparecessem à Assembleia na Câmara.

Escrito por: Fred Reis/Café no Bule • Publicado em: 28/02/2019 - 16:24 • Última modificação: 28/02/2019 - 16:49 Escrito por: Fred Reis/Café no Bule Publicado em: 28/02/2019 - 16:24 Última modificação: 28/02/2019 - 16:49

. Assembleia no Plenário da Câmara

Na Assembleia realizada nesta terça-feira (26) pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Itapetinga e Região (Sinditatiba/BA), a pauta de discussões acabou ocupando o espaço de coadjuvante. O protagonismo ficou por conta dos servidores, que quebraram o silêncio e fizeram várias denúncias contra a gestão do prefeito Rodrigo Hagge. O campeão de queixas foi Geraldo Trindade, da pasta da Educação.

As denúncias feitas pelos servidores vão desde o descumprimento de acordos por parte da gestão, até a má qualidade da merenda escolar, passando pela sobrecarga de trabalho e ameaça de corte do pagamento de um dia de trabalho, caso comparecessem à Assembleia. Eles cobraram de forma veemente uma ação por parte dos vereadores, que têm deixado a desejar quando o assunto é fiscalização dos serviços públicos.

Ocorrida no Plenário da Câmara Municipal, a Assembleia contou com a presença dos vereadores Márcio Piu, Anderson da Nova, João de Deus e Sargento Alberto. Romildo Teixeira se apresentou, mas justificou impossibilidade de permanecer por problema de agenda. O vereador Valdeir Chagas apareceu rapidamente, fez uso da palavra e também se ausentou por motivos familiares.

Com um discurso de defesa da gestão, o Sargento Alberto perdeu-se na tentativa de justificar os erros da Administração. “O prefeito muitas vezes não sabe o que se passa nas secretarias, porque os secretários para blindar o prefeito não informam problemas que estão ocorrendo”, afirmou o vereador.

A secretária-geral do Sinditatiba, Suely Chaves, replicou o parlamentar. “Se o prefeito não tem conhecimento do que se passa, demonstra que a gestão é desorganizada, o secretariado é composto por pessoas da confiança do prefeito e ao ocultar informações vitais quem paga a conta são os servidores, isso é justo?”, questionou a sindicalista. O vereador fez o uso da tréplica e, nesse momento, se perdeu, demonstrando incômodo e irritação após a fala da dirigente sindical.

João de Deus, Anderson da Nova e Márcio Piu reconheceram a seriedade das denúncias e se colocaram à disposição para trabalhar pelo resolução dos problemas apontados pelos servidores.

Após explanar toda a pauta da Assembleia, o Sinditatiba colocou em votação as propostas e abriu espaço para que servidores presentes se manifestassem. Pauta aprovada, o próximo passo é apresentá-la ao prefeito em reunião a ser agendada para o mês de março. O presidente Valdeílson Pereira Gonçalves disse que as reivindicações dos servidores serão cobradas pelo sindicato.

Edição Déborah Lima

Título: Servidores municipais denunciam prefeito de Itapetinga a vereadores, Conteúdo: Na Assembleia realizada nesta terça-feira (26) pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Itapetinga e Região (Sinditatiba/BA), a pauta de discussões acabou ocupando o espaço de coadjuvante. O protagonismo ficou por conta dos servidores, que quebraram o silêncio e fizeram várias denúncias contra a gestão do prefeito Rodrigo Hagge. O campeão de queixas foi Geraldo Trindade, da pasta da Educação. As denúncias feitas pelos servidores vão desde o descumprimento de acordos por parte da gestão, até a má qualidade da merenda escolar, passando pela sobrecarga de trabalho e ameaça de corte do pagamento de um dia de trabalho, caso comparecessem à Assembleia. Eles cobraram de forma veemente uma ação por parte dos vereadores, que têm deixado a desejar quando o assunto é fiscalização dos serviços públicos. Ocorrida no Plenário da Câmara Municipal, a Assembleia contou com a presença dos vereadores Márcio Piu, Anderson da Nova, João de Deus e Sargento Alberto. Romildo Teixeira se apresentou, mas justificou impossibilidade de permanecer por problema de agenda. O vereador Valdeir Chagas apareceu rapidamente, fez uso da palavra e também se ausentou por motivos familiares. Com um discurso de defesa da gestão, o Sargento Alberto perdeu-se na tentativa de justificar os erros da Administração. “O prefeito muitas vezes não sabe o que se passa nas secretarias, porque os secretários para blindar o prefeito não informam problemas que estão ocorrendo”, afirmou o vereador. A secretária-geral do Sinditatiba, Suely Chaves, replicou o parlamentar. “Se o prefeito não tem conhecimento do que se passa, demonstra que a gestão é desorganizada, o secretariado é composto por pessoas da confiança do prefeito e ao ocultar informações vitais quem paga a conta são os servidores, isso é justo?”, questionou a sindicalista. O vereador fez o uso da tréplica e, nesse momento, se perdeu, demonstrando incômodo e irritação após a fala da dirigente sindical. João de Deus, Anderson da Nova e Márcio Piu reconheceram a seriedade das denúncias e se colocaram à disposição para trabalhar pelo resolução dos problemas apontados pelos servidores. Após explanar toda a pauta da Assembleia, o Sinditatiba colocou em votação as propostas e abriu espaço para que servidores presentes se manifestassem. Pauta aprovada, o próximo passo é apresentá-la ao prefeito em reunião a ser agendada para o mês de março. O presidente Valdeílson Pereira Gonçalves disse que as reivindicações dos servidores serão cobradas pelo sindicato. Edição Déborah Lima



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.