Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Servidores municipais de Blumenau rejeitam proposta de parcelamento do INPC e aprovam dia de paralisação

Trabalhadores aprovaram um dia de paralisação e esperam uma nova proposta da Prefeitura

Escrito por: Sintraseb • Publicado em: 11/05/2016 - 16:56 • Última modificação: 12/05/2016 - 12:26 Escrito por: Sintraseb Publicado em: 11/05/2016 - 16:56 Última modificação: 12/05/2016 - 12:26

. Assembleia teve presença esmagadora dos servidores

Por ampla maioria, mais de 1.700 servidores do município de Blumenau, presentes na assembleia geral realizada na manhã desta terça-feira (10), decidiram rejeitar a proposta de parcelamento do INPC feita pela Prefeitura.

O governo propôs reajustar o vale alimentação em 9,83%, subindo o valor de R$ 15,71 pra R$ 17,25, o parcelamento do INPC, mais ganho real da seguinte forma: 3% na folha de maio, 2% na folha de novembro, 2% na folha de dezembro, 2% na folha de janeiro/2017 e 1,83% na folha de fevereiro, totalizando 11,33% de reajuste, desconsiderando a perda pelo atraso na recomposição.

Os trabalhadores do serviço público municipal defendem o pagamento integral do INPC dos últimos 12 meses (9,83%), mais 1% de ganho real na folha do mês de maio, conforme o previsto na Lei Complementar 932/2014, fruto do acordo do fim da greve de 2014.

O indicativo de paralisação durante o dia 10, foi feito pelos representantes por local de trabalho, também foi aprovado pela assembleia. 

Os servidores esperam um novo posicionamento do governo e uma nova assembleia definirá os rumos do movimento.

Título: Servidores municipais de Blumenau rejeitam proposta de parcelamento do INPC e aprovam dia de paralisação, Conteúdo: Por ampla maioria, mais de 1.700 servidores do município de Blumenau, presentes na assembleia geral realizada na manhã desta terça-feira (10), decidiram rejeitar a proposta de parcelamento do INPC feita pela Prefeitura. O governo propôs reajustar o vale alimentação em 9,83%, subindo o valor de R$ 15,71 pra R$ 17,25, o parcelamento do INPC, mais ganho real da seguinte forma: 3% na folha de maio, 2% na folha de novembro, 2% na folha de dezembro, 2% na folha de janeiro/2017 e 1,83% na folha de fevereiro, totalizando 11,33% de reajuste, desconsiderando a perda pelo atraso na recomposição. Os trabalhadores do serviço público municipal defendem o pagamento integral do INPC dos últimos 12 meses (9,83%), mais 1% de ganho real na folha do mês de maio, conforme o previsto na Lei Complementar 932/2014, fruto do acordo do fim da greve de 2014. O indicativo de paralisação durante o dia 10, foi feito pelos representantes por local de trabalho, também foi aprovado pela assembleia.  Os servidores esperam um novo posicionamento do governo e uma nova assembleia definirá os rumos do movimento.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.