Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Sem força, governo apresenta hoje novo texto da reforma da Previdência

O anúncio da proposta vai ser feito após jantar que será oferecido nesta quarta (22) por Temer aos deputados da base aliada.

Escrito por: Redação Brasil de Fato/Edição Vanessa Martina Silva • Publicado em: 22/11/2017 - 17:32 • Última modificação: 22/11/2017 - 18:11 Escrito por: Redação Brasil de Fato/Edição Vanessa Martina Silva Publicado em: 22/11/2017 - 17:32 Última modificação: 22/11/2017 - 18:11

Luis Macedo/Câmara dos Deputados O governo pretende votar a PEC da Previdência até o dia 15 de dezembro

O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), vai divulgar o novo texto do projeto hoje (22). O parlamentar vai apresentar uma versão mais enxuta da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que estabelece mudanças nas regras para a aposentadoria. 

Sem força política e com a perda da base apoiadora para aprovar o texto inicial da reforma, o anúncio vai ser feito após o jantar que será oferecido pelo presidente golpista, Michel Temer (PMDB), aos deputados da base aliada, no Palácio da Alvorada.

Nos bastidores, avalia-se que governo não tem os 308 votos necessários para aprovar a proposta. Por isso, o texto de Oliveira Maia vai retirar alguns pontos sensíveis, como a inclusão dos trabalhadores rurais na reforma.

O texto deve alterar três pontos do sistema previdenciário atual. A reforma prevê a implantação de idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e 62 para as mulheres; a definição de uma regra de transição para os servidores públicos e a equiparação do sistema público e privado de Previdência para o teto do benefício.

Para movimentos populares e especialistas no tema, mesmo com as alterações, a proposta continua sendo excludente.

O governo e a base aliada esperam votar a PEC até o dia 15 de dezembro na Câmara dos Deputados. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), afirmou, nesta terça-feira (21), que só vai colocar a reforma da Previdência quando tiver os votos necessários para a aprovação da medida.

A proposta volta ao Congresso Nacional após ter ficado mais de seis meses paralisada devido às delações de empresários da JBS envolvendo Temer em supostos casos de corrupção passiva.

Ouça a matéria:

Play

0:00

via SoundCloud

1:51BaixarBaixar

Título: Sem força, governo apresenta hoje novo texto da reforma da Previdência, Conteúdo: O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), vai divulgar o novo texto do projeto hoje (22). O parlamentar vai apresentar uma versão mais enxuta da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que estabelece mudanças nas regras para a aposentadoria.  Sem força política e com a perda da base apoiadora para aprovar o texto inicial da reforma, o anúncio vai ser feito após o jantar que será oferecido pelo presidente golpista, Michel Temer (PMDB), aos deputados da base aliada, no Palácio da Alvorada. Nos bastidores, avalia-se que governo não tem os 308 votos necessários para aprovar a proposta. Por isso, o texto de Oliveira Maia vai retirar alguns pontos sensíveis, como a inclusão dos trabalhadores rurais na reforma. O texto deve alterar três pontos do sistema previdenciário atual. A reforma prevê a implantação de idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e 62 para as mulheres; a definição de uma regra de transição para os servidores públicos e a equiparação do sistema público e privado de Previdência para o teto do benefício. Para movimentos populares e especialistas no tema, mesmo com as alterações, a proposta continua sendo excludente. O governo e a base aliada esperam votar a PEC até o dia 15 de dezembro na Câmara dos Deputados. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), afirmou, nesta terça-feira (21), que só vai colocar a reforma da Previdência quando tiver os votos necessários para a aprovação da medida. A proposta volta ao Congresso Nacional após ter ficado mais de seis meses paralisada devido às delações de empresários da JBS envolvendo Temer em supostos casos de corrupção passiva. Ouça a matéria: 0:00 via SoundCloud 1:51Baixar



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.