Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Primeiro dia de greve para 1,5 mil servidores em Campinas

Categoria reivindica reajuste de 23%. Uma nova rodada de negociações está marcada para esta quarta-feira (25)

Escrito por: Confetam/CUT • Publicado em: 24/05/2016 - 17:06 • Última modificação: 30/05/2016 - 18:00 Escrito por: Confetam/CUT Publicado em: 24/05/2016 - 17:06 Última modificação: 30/05/2016 - 18:00

STMC Servidores fizeram passeata pelo Centro da cidade

O primeiro dia de greve dos servidores municipais de Campinas, deflagrada nesta segunda-feira (23), gerou reflexos na saúde, educação, serviços públicos e segurança, de acordo com Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (STMC). 

Além de concentração em frente ao Palácio dos Jequitibás, os trabalhadores fizeram passeata pelas principais vias do Centro com faixas e cartazes para reivindicar aumento de 23% nos salários, vale-alimentação de R$ 1.017, um hospital para servidores, entre outras reivindicações.

O coordenador do Sindicato, Jadirson Tadeu Cohen, estimou adesão à greve de pelo menos 1,5 mil funcionários. A folha atual gira em torno de R$ 102 milhões

"A manifestação foi acima do esperado, houve uma adesão grande. Principalmente educação e saúde, onde há insatisfação muito grande, e sem fazer piquetes. Acredito que essa quantidade (de adesão à greve) deve dobrar até quarta-feira (25)", afirmou o sindicalista. Uma nova mesa de negociação está agendada para amanhã (25). 

Sobre a liminar concedida pela Justiça, que obriga manutenção de 70% dos serviços essenciais, o diretor do Sindicato adiantou que a entidade irá recorrer. 

Os servidores decidiram iniciar greve depois da sétima rodada de negociação com a Prefeitura, quando nenhuma proposta de reajuste foi apresentada à categoria. 

Com informações do portal G1

Título: Primeiro dia de greve para 1,5 mil servidores em Campinas, Conteúdo: O primeiro dia de greve dos servidores municipais de Campinas, deflagrada nesta segunda-feira (23), gerou reflexos na saúde, educação, serviços públicos e segurança, de acordo com Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (STMC).  Além de concentração em frente ao Palácio dos Jequitibás, os trabalhadores fizeram passeata pelas principais vias do Centro com faixas e cartazes para reivindicar aumento de 23% nos salários, vale-alimentação de R$ 1.017, um hospital para servidores, entre outras reivindicações. O coordenador do Sindicato, Jadirson Tadeu Cohen, estimou adesão à greve de pelo menos 1,5 mil funcionários. A folha atual gira em torno de R$ 102 milhões A manifestação foi acima do esperado, houve uma adesão grande. Principalmente educação e saúde, onde há insatisfação muito grande, e sem fazer piquetes. Acredito que essa quantidade (de adesão à greve) deve dobrar até quarta-feira (25), afirmou o sindicalista. Uma nova mesa de negociação está agendada para amanhã (25).  Sobre a liminar concedida pela Justiça, que obriga manutenção de 70% dos serviços essenciais, o diretor do Sindicato adiantou que a entidade irá recorrer.  Os servidores decidiram iniciar greve depois da sétima rodada de negociação com a Prefeitura, quando nenhuma proposta de reajuste foi apresentada à categoria.  Com informações do portal G1



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.