Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Municipais de Florianópolis iniciam data-base 2019 cobrando acordos antigos do prefeito Gean Loureiro

Trabalhadores também reivindicam a valorização dos serviço público municipal.

Escrito por: Sintrasem • Publicado em: 03/05/2019 - 16:07 • Última modificação: 03/05/2019 - 16:33 Escrito por: Sintrasem Publicado em: 03/05/2019 - 16:07 Última modificação: 03/05/2019 - 16:33

. .

O prefeito Gean Loureiro (MDB) vai pra imprensa jogar confete sobre si mesmo porque a Prefeitura está com os cofres no positivo, mas foge da conversa sempre que precisa responder sobre tudo aquilo que deve aos trabalhadores do serviço público municipal.

Quem vê nem imagina que, enquanto diz defender o serviço público da cidade, o prefeito deve aos trabalhadores do município até mesmo a inflação de 2016 (1%) e de 2017 (3%), além do plano de carreira do Civil, promoções e outros.

Se antes o prefeito tinha algo para culpar pelos seus próprios atrasos e calotes – a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) –, agora acabaram-se as desculpas, pois o gasto com a folha dos trabalhadores está finalmente abaixo do limite.

Ou seja: Gean não paga porque não quer.

Na prática, o que o prefeito vem chamando de "boa administração" é simplesmente o lucro tirado em cima do professor, da enfermeira, da assistente social e de todos os outros trabalhadores a quem a Prefeitura deve.

Parece se esquecer que quem faz Florianópolis ter um dos melhores serviços públicos do país é o trabalhador da ponta – que, apesar da falta de condições, segue tocando sua função com zelo e dedicação, dia após dia, e atendendo a população da maneira que consegue.

É por todos estes motivos que, nesta Data-base o trabalhador de Florianópolis vai gritar: SAI DA PEDRA, MARISCO! Chega de se esconder e de fugir das dívidas!

Assembleia lotada e aprovação da pauta

Em assembleia lotada – e não poderia ser diferente – no dia 25 de abril, os trabalhadores do serviço público municipal de Florianópolis aprovaram a pauta de data-base que, nas próximas semanas, guiará todo o debate com a Prefeitura em defesa dos direitos da categoria.

A Data-base deste ano se inicia em um momento de ataque intenso não só aos trabalhadores de Florianópolis, mas ao serviço público em todas as suas instâncias. No plano federal, com Jair Bolsonaro (PSL), os inimigos do povo tentam destruir nossas aposentadorias a qualquer custo, enquanto no estadual o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), fecha órgãos públicos inteiros com a chamada reforma administrativa. 

Já Gean Loureiro (MDB) comemora resultados arrancados nas costas do trabalhador com cortes, atrasos e precarização dos locais de trabalho. Seja na Educação, na Saúde, na Assistência Social ou em qualquer outro setor, a direção para a qual Gean caminha é sempre a mesma, se alinhando com as de Bolsonaro e Moisés: privatização e terceirização completa!

A situação é grave e requer mobilização da categoria. É por isso que os eixos de luta deste ano são: valorização salarial e dos planos de carreira; defesa do serviço 100% público gratuito e de qualidade, contra as privatizações e revogação da Lei das O.S.; concurso público e; defesa da previdência pública e solidária e contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro.

Nossa luta nesta Data-base apenas começou. É importantíssimo que a categoria se mantenha unida, atenta e pronta para o enfrentamento!

A próxima assembleia ficou marcada para 15 de maio, quando acontece uma greve nacional do setor de educação contra a Reforma da Previdência!

 

• Acesse o jornal com a pauta de reivindicações completa!

 

 

Título: Municipais de Florianópolis iniciam data-base 2019 cobrando acordos antigos do prefeito Gean Loureiro, Conteúdo: O prefeito Gean Loureiro (MDB) vai pra imprensa jogar confete sobre si mesmo porque a Prefeitura está com os cofres no positivo, mas foge da conversa sempre que precisa responder sobre tudo aquilo que deve aos trabalhadores do serviço público municipal. Quem vê nem imagina que, enquanto diz defender o serviço público da cidade, o prefeito deve aos trabalhadores do município até mesmo a inflação de 2016 (1%) e de 2017 (3%), além do plano de carreira do Civil, promoções e outros. Se antes o prefeito tinha algo para culpar pelos seus próprios atrasos e calotes – a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) –, agora acabaram-se as desculpas, pois o gasto com a folha dos trabalhadores está finalmente abaixo do limite. Ou seja: Gean não paga porque não quer. Na prática, o que o prefeito vem chamando de boa administração é simplesmente o lucro tirado em cima do professor, da enfermeira, da assistente social e de todos os outros trabalhadores a quem a Prefeitura deve. Parece se esquecer que quem faz Florianópolis ter um dos melhores serviços públicos do país é o trabalhador da ponta – que, apesar da falta de condições, segue tocando sua função com zelo e dedicação, dia após dia, e atendendo a população da maneira que consegue. É por todos estes motivos que, nesta Data-base o trabalhador de Florianópolis vai gritar: SAI DA PEDRA, MARISCO! Chega de se esconder e de fugir das dívidas! Assembleia lotada e aprovação da pauta Em assembleia lotada – e não poderia ser diferente – no dia 25 de abril, os trabalhadores do serviço público municipal de Florianópolis aprovaram a pauta de data-base que, nas próximas semanas, guiará todo o debate com a Prefeitura em defesa dos direitos da categoria. A Data-base deste ano se inicia em um momento de ataque intenso não só aos trabalhadores de Florianópolis, mas ao serviço público em todas as suas instâncias. No plano federal, com Jair Bolsonaro (PSL), os inimigos do povo tentam destruir nossas aposentadorias a qualquer custo, enquanto no estadual o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), fecha órgãos públicos inteiros com a chamada reforma administrativa.  Já Gean Loureiro (MDB) comemora resultados arrancados nas costas do trabalhador com cortes, atrasos e precarização dos locais de trabalho. Seja na Educação, na Saúde, na Assistência Social ou em qualquer outro setor, a direção para a qual Gean caminha é sempre a mesma, se alinhando com as de Bolsonaro e Moisés: privatização e terceirização completa! A situação é grave e requer mobilização da categoria. É por isso que os eixos de luta deste ano são: valorização salarial e dos planos de carreira; defesa do serviço 100% público gratuito e de qualidade, contra as privatizações e revogação da Lei das O.S.; concurso público e; defesa da previdência pública e solidária e contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro. Nossa luta nesta Data-base apenas começou. É importantíssimo que a categoria se mantenha unida, atenta e pronta para o enfrentamento! A próxima assembleia ficou marcada para 15 de maio, quando acontece uma greve nacional do setor de educação contra a Reforma da Previdência!   • Acesse o jornal com a pauta de reivindicações completa!    



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.