Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Centrais sindicais convocam greve nacional contra reforma da Previdência

Decisão foi tomada hoje, durante reunião com representantes da CUT, CTB, NCST, Força Sindical, Central dos Sindicatos Brasileiros, UGT, Intersindical, CSP-Conlutas e CGTB.

Escrito por: Railídia Carvalho/Portal Vermelho/Portal CTB • Publicado em: 24/11/2017 - 14:22 • Última modificação: 24/11/2017 - 14:37 Escrito por: Railídia Carvalho/Portal Vermelho/Portal CTB Publicado em: 24/11/2017 - 14:22 Última modificação: 24/11/2017 - 14:37

Reprodução Nove centrais sindicais estiveram representadas na reunião de hoje

Em reunião realizada hoje (24) na sede da Força Sindical, representantes das centrais sindicais brasileiras definiram greve nacional no dia 5 de dezembro, às vésperas da data em que o governo ilegítimo de Michel Temer pressiona para ser votada no plenário da Câmara a nova versão da reforma da Previdência. 

Mais enxuto, o texto apresentado nesta quarta-feira (22) retarda a aposentadoria do trabalhador brasileiro e rebaixa o valor do benefício. Em nota, as centrais afirmam que o novo texto mantém o “desmonte da Previdência”.  

Participaram da reunião a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Força Sindical, Central dos Sindicatos Brasileiros, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Intersindical, CSP-Conlutas e Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB).

Para Adilson Araújo, a greve demonstra uma “resposta contundente” ao governo golpista de Temer. “Sem pudor, o governo ilude, através de uma campanha publicitária sórdida e que mente descaradamente para o nosso povo”, declarou.

De acordo com o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, a proposta do governo impede a aposentadoria. “Nada mais é do que a retirada de direitos. A greve nacional vai mobilizar as categorias e principalmente as capitais do país com a orientação para que os transportes sejam paralisados”, informou.

O dirigente metroviário Wagner Fajardo, que também esteve na reunião, afirmou que a disposição de luta do movimento sindical demonstra que não há possibilidade de negociação com o atual governo. “Na próxima semana nos reuniremos com todos os setores de transporte das centrais para debater o tema. Provavelmente na terça-feira (28) vamos apontar a orientação de greve nacional das centrais”, explicou Fajardo.

Na terça está definida reunião na sede da Federação dos Trabalhadores em Transporte do Estado de São Paulo. Os metroviários devem realizar assembleia no dia 4 para deliberar sobre a greve. 

Confira na íntegra nota divulgada pelas Centrais nesta sexta-feira (24)

São Paulo, 24 de novembro de 2017

Centrais Sindicais convocam greve nacional dia 5 contra reforma da Previdência e em defesa dos direitos

Reunidas na sede da Força Sindical na manhã desta sexta-feira , 24, as Centrais Sindicais CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, Intersindical, CGTB e CSP-Conlutas definiram realizar GREVE NACIONAL no dia 5 de dezembro, contra a nova proposta de desmonte da Previdência Social apresentada pelo governo.

As Centrais Sindicais convocam todas as entidades sindicais e movimentos sociais a realizarem ampla mobilização nas bases – assembleias, atos, debates e outras atividades – como processo de organização de uma Greve Nacional, no dia 5 de dezembro, contra as propostas de reforma da Previdência Social, que acaba com o direito à aposentadoria dos trabalhadores brasileiros.

As Centrais Sindicais exigem que o Congresso Nacional não mexa nos direitos dos trabalhadores!

Leia também:
Temer disfarça reforma da Previdência mas mantém lógica perversa 

Título: Centrais sindicais convocam greve nacional contra reforma da Previdência, Conteúdo: Em reunião realizada hoje (24) na sede da Força Sindical, representantes das centrais sindicais brasileiras definiram greve nacional no dia 5 de dezembro, às vésperas da data em que o governo ilegítimo de Michel Temer pressiona para ser votada no plenário da Câmara a nova versão da reforma da Previdência.  Mais enxuto, o texto apresentado nesta quarta-feira (22) retarda a aposentadoria do trabalhador brasileiro e rebaixa o valor do benefício. Em nota, as centrais afirmam que o novo texto mantém o “desmonte da Previdência”.   Participaram da reunião a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Força Sindical, Central dos Sindicatos Brasileiros, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Intersindical, CSP-Conlutas e Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB). Para Adilson Araújo, a greve demonstra uma “resposta contundente” ao governo golpista de Temer. “Sem pudor, o governo ilude, através de uma campanha publicitária sórdida e que mente descaradamente para o nosso povo”, declarou. De acordo com o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, a proposta do governo impede a aposentadoria. “Nada mais é do que a retirada de direitos. A greve nacional vai mobilizar as categorias e principalmente as capitais do país com a orientação para que os transportes sejam paralisados”, informou. O dirigente metroviário Wagner Fajardo, que também esteve na reunião, afirmou que a disposição de luta do movimento sindical demonstra que não há possibilidade de negociação com o atual governo. “Na próxima semana nos reuniremos com todos os setores de transporte das centrais para debater o tema. Provavelmente na terça-feira (28) vamos apontar a orientação de greve nacional das centrais”, explicou Fajardo. Na terça está definida reunião na sede da Federação dos Trabalhadores em Transporte do Estado de São Paulo. Os metroviários devem realizar assembleia no dia 4 para deliberar sobre a greve.  Confira na íntegra nota divulgada pelas Centrais nesta sexta-feira (24) São Paulo, 24 de novembro de 2017 Centrais Sindicais convocam greve nacional dia 5 contra reforma da Previdência e em defesa dos direitos Reunidas na sede da Força Sindical na manhã desta sexta-feira , 24, as Centrais Sindicais CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, Intersindical, CGTB e CSP-Conlutas definiram realizar GREVE NACIONAL no dia 5 de dezembro, contra a nova proposta de desmonte da Previdência Social apresentada pelo governo. As Centrais Sindicais convocam todas as entidades sindicais e movimentos sociais a realizarem ampla mobilização nas bases – assembleias, atos, debates e outras atividades – como processo de organização de uma Greve Nacional, no dia 5 de dezembro, contra as propostas de reforma da Previdência Social, que acaba com o direito à aposentadoria dos trabalhadores brasileiros. As Centrais Sindicais exigem que o Congresso Nacional não mexa nos direitos dos trabalhadores! Leia também: Temer disfarça reforma da Previdência mas mantém lógica perversa 



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.