Confetam convoca para Ato Nacional em Defesa da Educação e da Soberania

25/09/2019 - 16:56

Entidade fortalecerá a Greve Nacional da Educação, convocada pela UNE, UBES e ANPG para os dias 2 e 3 de outubro.

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) convoca as federações filiadas e os sindicatos da categoria para o Ato Nacional em Defesa da Educação Pública e da Soberania Nacional, no dia 02 de outubro, em Brasília. Promovido pelo Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE), o ato reunirá representantes de entidades integrantes de Fóruns Estaduais de Educação de todo o pais, entre elas a Confetam/CUT. A atividade, que também cobrará investimentos em ciência, tecnologia, educação básica e ensino superior, está marcada para 16h30, no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados.

“A atividade, plural e de caráter suprapartidário, contará com a participação das entidades nacionais, parlamentares, especialistas, ex-ministros e intelectuais vinculados à educação, à cultura e à ciência, tecnologia e inovação”, explica a Secretaria Executiva do FNPE em convite dirigido aos Fóruns Estaduais de Educação.  

Educação: prioridade de Estado

No dia seguinte, em 3 de Outubro, as entidades voltam a se reunir, desta vez em audiência pública, para debater as políticas educacionais como prioridade de Estado. A audiência será na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Também estão marcados para a mesma data atos no Rio de Janeiro e em Curitiba em defesa da Petrobras e da Soberania.

As atividades dos dias 2 e 3 de outubro fortalecerão a Greve Nacional da Educação, convocada para os dois dias pela União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG).

Às entidades que não puderem participar das atividades da Agenda Nacional de Mobilizações, a Confetam/CUT orienta que realizem atos locais e proponham aos parlamentares progressistas de municípios e estados o requerimento de audiências públicas nas Câmaras de Vereadores e Assembleias Legislativas para debater com a comunidade a importância de organizar a resistência popular aos ataques do desgoverno do presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro à educação pública e à soberania do Brasil.

Agende-se:

26 de Setembro – Ato em Brasília em defesa dos Correios

2 de Outubro – Ato Nacional no Auditório Nereu Ramos, Brasília-DF, em Defesa da Educação Pública e da Soberania Nacional

2 e 3 de Outubro – Greve Nacional da Educação

3 de Outubro - Audiência Pública, na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, Brasília-DF, para debater sobre as Políticas Educacionais com prioridade de Estado

3 de Outubro - Ato no RJ e em Curitiba em defesa da Petrobras e da Soberania

5 de Outubro – Ato Nacional em Marabá-PA em defesa da Amazônia

15 de Outubro - Seminário alusivo ao Dia do Professor e às políticas para a valorização profissional, na Câmara dos Deputados

15 de Outubro – Ato em São Paulo em defesa dos Bancos Públicos

16 de Outubro – Dia Mundial da Alimentação

17 de Outubro – Seminário no Auditório Nereu Ramos, Brasília-DF, contra a violência no ambiente escolar, com o Prêmio Nobel da Paz Kailash Satyarthi

18 de Outubro – Ato Nacional em Recife- PE em defesa da Eletrobrás

20 e 24 de outubro - 39ª Reunião Nacional, na Universidade Federal Fluminense (UFF)

25 de Outubro – Ato em Brumadinho-MG em defesa da reestatização da Vale

29 de Outubro - Entrega do Prêmio Darcy Ribeiro ao FNPE, no Salão Nobre da Câmara dos Deputados

20 de Novembro – Caravana em defesa da Base de Alcântara