Servidores municipais de Maceió (AL) iniciam paralisação de 48h

20/06/2018 - 15:37

Sindicato espera adesão de cerca de 10 mil trabalhadores.

Servidores públicos do município de Maceió deram início hoje (20) a uma paralisação de 48 horas em protesto contra a falta de acordo com a Prefeitura na tentativa de negociação por reajuste salarial. Os trabalhadores reivindicam 15,41%, mas o Município ofertou apenas 3%, divididos entre os meses de junho e outubro, e sem pagamento retroativo a janeiro - o que desagradou a categoria.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Maceió (Sindspref), Sidney Lopes, todos os servidores foram convocados. A expectativa é a de que ao menos 50% do total de trabalhadores se faça presente ao ato desta quarta, na Praça Deodoro, com os demais mantendo os serviços considerados essenciais, para que não haja prejuízo à população. "Nosso objetivo, por ora, é chamar a atenção do poder público e da sociedade em geral acerca da nossa situação", esclarece.

O presidente do Sindspref afirma, ainda, que a entidade tenta negociar com a Prefeitura desde o início do ano. Porém, segundo ele, o sindicato foi convidado para somente uma reunião até aqui, realizada no início do mês de maio, após o primeiro indicativo de greve. Na oportunidade, a Prefeitura informou que não teria condições de arcar com o percentual pretendido pelos servidores, que, então, decidiram pela paralisação desta semana.

"O Município disse que teria como ofertar apenas a progressão, mas não aceitamos findar o movimento porque, de uma forma ou de outra, a progressão salarial já nos é garantida por lei. Além do mais, dos cerca de 20 mil servidores municipais, apenas quatro mil seriam contemplados. Portanto, aceitar proposta do tipo seria, antes de tudo, uma injustiça para com a maioria", comentou o sindicalista, para quem a Prefeitura precisa considerar o reduzido poder de compra do servidor frente ao aumento dos preços de itens de primeira necessidade.

Como a Prefeitura ainda não apresentou uma contraproposta, uma nova assembleia segue marcada para o próximo dia 9 de julho, no Clube Fênix Alagoana, onde desta vez os servidores poderão decidir pela greve por tempo indeterminado.

Em nota, a Prefeitura de Maceió informou que busca atender aos pedidos da categoria, mesmo com o período econômico difícil, e que o percentual oferecido é o mais alto entre os que foram concedidos por capitais brasileiras este ano.

Confira a nota na íntegra:

A Prefeitura de Maceió reforça que apresentou o percentual de reajuste salarial de 3% durante mesa de negociação com os servidores municipais no último dia 12. O Município tem mantido o empenho em atender à categoria, apesar do momento econômico nacional, que impõe a máxima prudência na gestão das finanças públicas. O percentual oferecido é o mais alto entre os que foram concedidos por capitais brasileiras este ano e está dentro da capacidade financeira da Prefeitura e do limite de gastos com pessoal estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Maceió registrou cortes significativos nos repasses federais, mas a Prefeitura tem mantido como prioridade a regularidade no pagamento dos servidores.