Dia Mundial dos Serviços Públicos será o esquenta para a segunda Greve Geral da Classe Trabalhadora

08/06/2017 - 12:05

Confetam/CUT orienta entidades a promoverem ações de conscientização sobre o tema Justiça Fiscal, na semana entre 19 e 23 de junho, e atividades de mobilização para a paralisação nacional do dia 30

Tendo em vista a necessidade de combatermos a injustiça tributária, a evasão fiscal e a corrupção que desviam montantes consideráveis de recursos que poderiam estar financiando um serviço público de qualidade e assegurando direitos aos servidores públicos municipais, a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) convoca todas as federações filiadas e sindicatos de base a participarem da mobilização chamada pela Internacional de Serviços Públicos (ISP) para 23 de junho - Dia Mundial dos Serviços Públicos, cujo tema este ano será Justiça Fiscal.

A orientação da Confetam/CUT é que as entidades realizem, ao longo da semana de 19 a 23 de junho, ações alusivas à data, transformando-as em um momento para ampliarmos o diálogo com os trabalhadores e a população sobre a crise que assola o mundo e o nosso país, bem como as "saídas" que as elites representadas no Parlamento estão impondo ao povo brasileiro, reduzindo o papel do Estado e retirando direitos para salvar o capital privado, em detrimento dos interesses públicos. Esse é o objetivo do ajuste fiscal aprovado pelo Congresso Nacional.

Esquenta para a Greve Geral

Entre as ações a serem desenvolvidas, a Confetam/CUT sugere panfletagens sobre o tema, debates, audiências públicas nas Câmaras Municipais e Assembleias Legislativas, escracho na frente de empresas nacionais e multinacionais sabidamente sonegadoras de impostos, tribunas livres em logradouros movimentados e seminários sobre Justiça Fiscal.

A sugestão é que as atividades coincidam com o calendário de mobilização para a segunda Greve Geral da Classe Trabalhadora, cujo "esquenta" está agendado para o dia 20 de junho. A paralisação nacional contra as reformas trabalhista e previdenciária, pela revogação da Lei das Terceirizações e pela aprovação da PEC das "Diretas Já" foi convocada pelas centrais sindicais para o dia 30 de junho. 

A maior paralisação da história

"A segunda greve geral contra as reformas e em defesa da democracia será ainda maior que a paralisação do dia 28 de abril e a adesão dos servidores públicos municipais de todo o Brasil será fundamental para o sucesso, em cada cidade do país, da maior greve geral da história do movimento sindical brasileiro", convoca a presidente da Confetam/CUT, Vilani Oliveira.